A jornalista Gislaine Ferreira fez sucesso em Belo Horizonte durante anos como a garota do tempo da Globo Minas, mas decidiu sair do canal para se dedicar a outras atividades em seu Instituto Miss (veja o Instagram aqui).

Antes de ser jornalista, enquanto ainda estava na faculdade, ela era modelo e concorreu ao Miss Minas Gerais e depois ao Miss Brasil, concurso que venceu em 2003.

Mas ela se viu em meio a uma grande polêmica: foi acusada de fraudar o concurso para vencer.

Advertisement

Saiu agora: Globo Minas e TV Alterosa estão em briga pela Copa do Brasil em BH; saiba o motivo aqui

Após ficar em segundo lugar no Miss Minas Gerais, ela foi convidada para representar o estado do Tocantins no Miss Brasil e venceu como a representante de lá.

Apesar das regras permitirem isto, suas concorrentes não gostaram nada do caso e Gislaine precisou se justificar para a imprensa, na época. Chegou a ir até ao Domingo Legal conversar com Gugu:

Advertisement

A polêmica logo foi esclarecida e todo mundo percebeu que se tratava do mais puro “recalque” das derrotadas. Estado mais novo do Brasil, Tocantins havia sido criado há apenas 14 anos em 2003. Ou seja, era impossível que uma candidata nascida no estado tivesse idade suficiente para concorrer.

Após o Miss Brasil, ela ganhou o direito de disputar o Miss Universo e ficou em 6º lugar, derrotando 65 candidatas do mundo inteiro. É o famoso “Deus escreve certo por linhas tortas”.

Advertisement

Leia também: Porque estes 7 jornalistas se demitiram da Globo Minas em BH; veja os motivos aqui

Veja sua vitória na competição brasileira e depois um resumo de sua participação na etapa mundial:

Advertisement