No Brasil atual levamos os partidos políticos quase que com a mesma seriedade que os clubes de futebol, o que nos leva a gostar ou odiar políticos simplesmente por serem de tal ‘agremiação’.

Mas o PSD (Partido Social Democrático) mostra que partido e afiliado podem pensar de forma diferente. Enquanto seu filiado Alexandre Kalil, prefeito de Belo Horizonte briga com o STF para manter as portas das igrejas fechadas durante o momento mais difícil da pandemia em BH, em São Paulo o partido age diferente.

Enquanto o ministro Kássio Nunes Marques intimou Kalil a acatar sua decisão de permitir a abertura das igrejas, seu colega Gilmar Mendes decidiu contra o PSD em São Paulo no mesmo tema.

Advertisement

Lá PSD pedia o contrário: que as igrejas permanecessem abertas.

O partido de Kalil em SP alegava que o decreto do governador João Dória era ilegal pois violava a liberdade religiosa.

Advertisement