A CPI da BH Trans começou a ouvir o presidente da entidade, Diogo Prosdocimi, nesta quarta-feira, 2, e já começou a ouvir algumas verdades indigestas.

O presidente da entidade afirmou que para que os coletivos voltem a rodar com cobradores, o valor da passagem precisa aumentar entre 15 a 20 centavos.

“É uma decisão da cidade que a gente vai ter aqui neste ano. A gente tem custo, passivo de ser calculado, até já fiz algumas contas e daria entre 15 e 20 centavos na tarifa, e é uma decisão que a cidade vai ter que tomar”.

Advertisement

Apesar de sugerir um aumento, admitiu que o serviço prestado pelas empresas não é bom:

“Uma resposta entre sim ou não eu diria que não, em termos da percepção da sociedade em geral. Frente a essas pesquisas de opinião, acho que seria salutar colocar que o serviço não é bem prestado”.

Advertisement