Alexandre Kalil (PSD) foi reeleito para a Prefeitura de Belo Horizonte no último domingo (15), com larga vantagem. Ele somou 63,36% dos votos da capital. O segundo lugar, ao contrário do que indicavam as principais pesquisas, ficou com Bruno Engler (PRTB), que somou 9,95% dos votos.

Apontado como possível vice-líder, João Vitor Xavier (Cidadania), consegui 9,22% dos votos e acabou em terceiro. Em quarto lugar ficou a parlamentar Áurea Carolina (Psol), com 8,33%. 

Em todo país, a demora na apuração das urnas chamou a atenção. Pela primeira vez, a totalização foi centralizada em um sistema do Tribunal Federal Eleitoral (TSE). O atraso foi tão grande que, por volta das 21h15, a base de dados da Justiça Eleitoral apontava que apenas 12,01% das urnas instaladas na capital mineira haviam sido verificadas.

Advertisement

O novo vice-prefeito de Belo Horizonte é Fuad Noman, também do PSD. Ele substituirá Paulo Lamac, da Rede Sustentabilidade. Além dos dois partidos, a coligação liderada por Kalil, chamada “Coragem e Trabalho”, contou com os apoios do MDB, PP, PV, DC, Avante e PDT. 

A Câmara Municipal elegeu, pela primeira vez na história, uma mulher transexual. Professora e filiada ao PDT, Dua Salabert foi escolhida por mais de 37.613 eleitores, maior votação já vista em um pleito para o legislativo municipal.

Advertisement