Em uma entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira (13), o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD) afirmou que vai solicitar ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) a liberação de R$4,3 milhões que estariam “travados” para acabar com o embate das empresas de ônibus da capital.

Na última quarta-feira (12), duas empresas afirmaram que estão entrando em colapso e por isso, estariam encerrando cerca de 150 viagens. A informação foi divulgada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (SetraBH).

“Estamos reunidos porque aconteceu um problema que todos fomos pegos de surpresa, a respeito da paralisação de duas empresas. Temos dinheiro que é retido do SETRA, que está na prefeitura e não podemos usar. De acordo com o contrato, a verba é para momentos de desequilíbrio. Isso é contratual. Agora, nós estamos nos encaminhando para o MP”, afirmou Kalil.

Advertisement

O objetivo é desbloquear a verba para manter as linhas de ônibus operando na capital. “Se o MP estiver de acordo com isso, vamos retornar as linhas amanhã (sexta-feira) e aguardar início para que o projeto, que vai ser levado semana que vem à Justiça, (também) seja levado ao plenário”, destacou o prefeito de BH. Kalil afirmou que terá reunião com o órgão às 17h para definir as medidas que serão tomadas.

“A grande prioridade é fazer a compra de diesel, e acertar a folha de pagamento para atender a população. Se hoje houve a liberação de dinheiro, esses ônibus, com certeza, amanhã precisarão estar na rua. Essas empresas consomem 10 mil litro de diesel por dia”, destaca o presidente do SETRA, Robson Lessa.

Advertisement

Sempre no prejuízo e sempre pobres, as empresas de ônibus deveriam rescindir seus contratos com a prefeitura e procurar negócios mais rentáveis. Ou o prefeito poderia procurar meios de fazê-lo.