Uma mulher de 20 anos cuspiu em policiais após ser detida na 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), no Distrito Federal. A jovem havia sido detida após arranhar um carro da Polícia Militar, mas foi solta ao pagar a fiança. Porém, ao sair da delegacia, ela tentou agredir os policiais, chegando a cuspir neles.

 

Advertisement

A jovem foi levada à delegacia após uma denúncia de violência doméstica em sua casa, feita pela irmã, denunciando o marido da jovem, que não estava no local. Com a chegada dos policiais, as duas começaram a brigar e a jovem começou a danificar o carro da polícia, de acordo com o Boletim de Ocorrência.

Ao chegar à delegacia, ela informou que estava com COVID-19. Demonstrando agressividade, ela resistiu à prisão, mas foi liberada após do pagamento da fiança, de R$ 400. No entanto, ao sair da delegacia, ela começou a agredir os policiais. “Antes de sair ela passou a desacatar os policiais civis e tentou agredir uma policial. Nesse momento, ela cuspiu na agente várias vezes, atingindo dois profissionais”, contou a delegada-chefe da 6ª DP, Jane Klebia.

Após as agressões, a jovem foi presa novamente por desacato e resistência. Sem pagar a fiança, ela continua presa. Na carceragem, ela fez o teste para o novo coronavírus, que deu positivo.

Advertisement

“A mulher pode responder por dois crimes: negligência aos cuidados sanitários, além do perigo de contágio, que ela sabia que tinha e tentou contaminar os policiais. Esses crimes podem chegar cinco anos de prisão”, afirmou a delegada.

Os policiais agredidos foram afastados da equipe e realizaram testes para COVID-19.

Advertisement