O chefe de gabinete do prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD), Alberto Lage, participou nesta quinta-feira, 26, como testemunha, da CPI da BH Trans.

Em seu depoimento, incendiou a comissão com vários documentos que comprovam que testemunhas anteriores mentiram aos parlamentares.

Num destes depoimentos, o ex-presidente da BH Trans entre 2017 e 2020, Célio Bouzada teria afirmado que outras pessoas solicitaram à Prefeitura que fossem liberadas verbas antecipatórias para as empresas de ônibus.

Advertisement

Como Alberto Lage mostrou em documentos, a solicitação foi feita pela BH Trans com assinatura de Bouzada.

A prefeitura, portanto, atendeu à solicitação e autorizou a transferência dos recursos com base nas informações disponíveis à época.

Empresas estão pagando os seguros obrigatório?

Advertisement

A vereadora Bella Gonçalves (Psol), questionou se os seguros que garantiriam que as multas aplicadas pela PBH estão sendo pagos em dia.

Alberto disse que não tinha como provar que estão sendo pagos e nem que não estão.

Se os seguros não estiverem sendo pagos, é uma cláusula que poderia rescindir os contratos com as empresas de ônibus.

Advertisement