De acordo com um relatório da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico ANA, a carga viral de covid nos esgotos de Belo Horizonte aumentou no último mês.

Boletim de Acompanhamento nº 15/2022 da Rede Monitoramento COVID Esgotos, com dados das semanas epidemiológicas 18 (de 1º a 7 de maio) a 21 (de 22 a 28 de maio), informa que Belo Horizonte, Brasília, Curitiba e Fortaleza tiveram aumento das cargas virais em seus esgotos. Nos casos das capitais mineira e paranaense essa elevação foi expressiva e sistemática no período.

Apesar da elevação das cargas virais no esgoto de quatro capitais monitoradas, o aumento do número de novos casos de COVID-19 reportados pelas respectivas secretarias municipais de Saúde não têm ocorrido na mesma proporção, o que pode indicar a subnotificação de casos.

Advertisement

Em Belo Horizonte a Rede Monitoramento COVID Esgotos verificou um forte aumento da carga do novo coronavírus no esgoto que chega às estações de tratamento de esgotos Arrudas e Onça entre as semanas epidemiológicas 18 (de 1º a 7 de maio) e 19 (de 8 a 14 de maio). Nesse período a carga viral saltou de 30,7 bilhões para 71,3 bilhões de cópias do vírus por dia para cada 10 mil habitantes e, por isso, a Rede emitiu a Nota de Alerta nº 07/2022 em 20 de maio. Já na semana 20 (de 15 a 21 de maio) a carga do novo coronavírus recuou para 49,1 bilhões de cópias por dia para cada 10 mil habitantes – patamar ainda elevado.

Desde o início do monitoramento na capital mineira, em abril de 2020, a maior carga foi registrada na semana epidemiológica 3 deste ano (de 16 a 22 de janeiro): 662,1 bilhões de cópias do novo coronavírus por dia para cada 10 mil habitantes.

Entre as semanas epidemiológicas 18 e 20, todos os pontos monitorados registraram baixas concentrações do novo coronavírus (de 1 a 4 mil cópias por litro das amostras), intermediárias (de 4 mil a 25 mil cópias por litro) e elevadas (acima de 25 mil cópias por litro), representadas respectivamente em amarelo, laranja e vermelho nos mapas a seguir.

Advertisement

Nos três pontos especiais de monitoramento da capital mineira, o novo coronavírus não foi detectado no esgoto do asilo acompanhado. Já no Aeroporto Internacional de Confins a concentração viral intermediária foi verificada nas semanas 18 e 20. Na Rodoviária de Belo Horizonte monitorada, o vírus foi registrado em baixas concentrações da semana epidemiológica 20, conforme a tabela a seguir.

Advertisement