Romeu Zema (Novo), demonstrou uma preocupação com o aumento de casos pela Covid-19 e diz que se não tomarmos cuidado pode acontecer um  ‘estrangulamento total’ no sistema da saúde em até 30 dias.

 

Devido o grande avanço do novo coronavírus em Minas Gerais nas últimas semanas, houve um retrocesso nesta quinta-feira (18), em 101 municípios da macrorregião Central, como Curvelo, Sete Lagoas, Itabirito e Ouro Preto para a Onda Verde no programa de flexibilização controlada Minas Consciente, do governo do Estado. Já no Norte, 86 cidades como Brasília de Minas, foram para a Onda Branca.

Advertisement

Essas ondas são níveis que orientam quais tipos de estabelecimentos podem abrir em um município, segundo a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado.

Minas tem 146 municípios assinantes do programa, de acordo com o governo, o que corresponde cerca de 3,5 milhões de habitantes do Estado. Mesmo as cidades que não formalizaram ou informaram a adesão ao programa estão organizadas em ondas.

Hoje, na onda verde estão: 510 municípios; na Onda Branca: 290 e na Onda Amarela: 53. O Estado está dividido em 14 macrorregiões de Saúde. O objetivo do Minas Consciente é oferecer orientação aos prefeitos para o correto enfrentamento à pandemia, segundo Fernando Passalio, secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico do Estado.”Tão importante quanto o município fazer a adesão ao programa é que, de fato, ele fiscalize e cumpra todas as orientações que o programa oferece. O Minas Consciente veio para ajudar os prefeitos a tomar a decisão correta no enfrentamento dessa pandemia, de forma consciente e mantendo o isolamento”, afirma o secretário.

Advertisement

Romeu Zema (Novo), governador de Minas Gerais,  demonstrou nesta quinta-feira (18), uma preocupação com o aumento de casos da enfermidade causada pela Covid-19 no Estado. De acordo com Zema, se os números permanecerem neste crescimento, o avanço da Covid pode provocar  ‘estrangulamento total’ no sistema da saúde em até 30 dias.