Quando a AIESEC começou a dar seus primeiros passos bem lá atrás, em 1948, com o fim da Segunda Guerra Mundial, o ideal de 7 jovens estudantes não pôde se limitar às fronteiras da Europa, onde o empreendimento foi primeiramente pensado. Esses jovens, de diferentes nacionalidades, ansiavam por um projeto que visava a troca de experiências culturais através de intercâmbios.

*Se inscreva no link para fazer parte desse movimento jovem: bit.ly/VEMSERMEMBRO2020

Em um mundo devastado por uma guerra que deixou sentimentos de discordâncias e
desconfianças, era preciso conectar novamente a humanidade. De uma forma inovadora, a
AIESEC aparece com uma proposta de aproximação,compreensão e cooperação entre os
indivíduos de realidades culturais distintas, de maneira a reparar as consequências negativas do cenário pós-guerra.

Advertisement

Com a evolução e o sucesso obtidos por essa empreitada, os ecos dessa ação revolucionária chegaram em terras brasileiras. É de conhecimento comum o aspecto acolhedor presente na cultura do Brasil, país que se mostrou um lugar propício para a AIESEC lançar suas sementes


O solo fértil, adubado pela hospitalidade característica, era um local ideal para fazer crescer
mais ainda os ideais desse projeto. Não poderia ser diferente em Belo Horizonte,
tradicionalmente conhecida pelo traço regional inconfundível de uma das culturas mais
acolhedoras do Brasil.

A Aiesec chega ao Brasil em 1970, em pleno regime militar, trazida por Um estudante de
economia da UFRJ. Participante assíduo de movimentos estudantis, e descontente com a
censura imposta pelo governo militar, que resultou em perseguições e privação de liberdades sociais. Neste contexto, o jovem estudante viu como o país carecia de um modelo de liderança efetivo e alinhado com os objetivos da AIESEC.

Advertisement

Três anos mais tarde, a Aiesec aterriza em Belo Horizonte. Com o objetivo de formar jovens líderes na capital mineira, a organização se estabelece como uma “Associação realizadora de Intercâmbios Internacionais”. Porém, em 1978, diante do cenário de repressão militar, a Aiesec em Belo Horizonte põe fim às suas operações de seu escritório na cidade. Mas com o desejo e a força de vontade de fazer os valores da organização se espalharem pelo mundo, os jovens responsáveis não descansaram e se reinventaram, abrindo novamente suas atividades em 1979.

Nas décadas seguintes, a Aiesec em Belo Horizonte cresceu exponencialmente, expandindo e solidificando sua infra-estrutura, realizando eventos diversos, focado no seu ideal de
desenvolver liderança jovem. A ONG na capital mineira concretizou conquistas históricas
enquanto uma das sedes brasileiras que mais se destacou. Ainda nos anos 80 levou o primeiro brasileiro para atuar na Aiesec a nível internacional.

Nos anos 90 e 2000 passou pela transição do trabalho pré e pós internet, onde a forma de se reinventar no processo de oferecer experiências internacionais passou por vários desafios e transformações. Alguns dos destaques do escritório em Belo Horizonte foram bem notórios: em 2009 a Aiesec BH conquistou o prêmio de Qualidade de Intercâmbios, onde apresentou uma das melhores auditorias do país e foi o segundo comitê com os melhores resultados de intercâmbio; Em 2013, conquistou o prêmio de excelência à nível nacional; Mais recentemente, em 2017, se tornou a única entidade a obter o prêmio de excelência por 2 vezes.

Advertisement

Por anos, a Aiesec em Belo Horizonte cumpriu com o seu objetivo de forma exemplar.
Promoveu experiências para os mais diversos jovens, mantendo em seu cerne a importância em estimular e desenvolver a liderança, assim como a exposição a ambientes desafiadores.e de trocas interculturais. Um dos passos essenciais para uma sociedade mais pacífica e humanitária consiste em compreender as diferenças culturais e a Aiesec é uma porta de entrada para quem se vê pronto e disposto para se desenvolver e desenvolver também um mundo melhor. Venha fazer parte dessa história e participe do processo de seleção de novos membros, se
inscreva no link, clicando aqui