Um Procurador de Justiça de Minas Gerais virou chacota na internet nesta segunda-feira 9, quando um áudio foi analisado por jornalistas.




Publicado no site do Ministério Público, trata-se de uma reunião onde o procurador desabafou sobre suas dificuldades financeiras.

Ganhando R$24 mil reais por mês, quantia que milhões de brasileiros ganham em dois anos de trabalho, ele não está conseguindo viver bem.

Para conseguir sobreviver ganhando tão pouco, coitado, ele está tomando remédios controlados pelo menos duas vezes ao dia.




“Quero saber se nós, no ano que vem, vamos continuar nessa situação ou se vossa excelência já planeja alguma coisa… Ou se vamos ficar nesse mizerê. Quem é que vai querer ser promotor, se não vamos mais ter aumento, ninguém vai querer fazer concurso nenhum”, diz ele.

Em seguida ele diz que nem está conseguindo gastar os habituais R$ 20 mil no cartão de crédito e que está tendo que gastar apenas R$ 8 mil em Minas Gerais.




“Estou fazendo a minha parte. Estou deixando de gastar R$ 20 mil de cartão de crédito e estou passando a gastar R$ 8 (mil), para poder viver com os meus R$ 24 mil. Agora, eu e vários outros já estamos vivendo à base de comprimidos, à base de antidepressivo. Estou falando desse jeito aqui com dois comprimidos sertralina por dia, tomo dois ansiolíticos por dia e ainda estou falando desse jeito. Imagine se eu não tomasse? Ia ser pior que o ‘Ronaldinho’. Vamos ficar desse jeito?”.

Para o choque da população, mais um absurdo. O procurador de MG diz que recebendo R$ 24 mil é quase um pedinte:

“Nós vamos baixar mais a crista? Nós vamos virar pedinte, quase?”.




Quando você pensa que essa galera não consegue mais dar um tapa na cara do trabalhador, você se surpreende.

***Este é um texto de opinião. As ideias escritas aqui não necessariamente condizem com a do site.