A vereadora Marcela Trópia (Novo) entrou com um pedido de processo na Câmara de BH, contra a secretária de Educação da capital, Ângela Dalben. A alegação seria por conta de “descaso, falhas e omissões” da chefe da pasta durante a pandemia da Covid-19.

De acordo com Marcela, Ângela teria cometido infração político-administrativa. “As escolas públicas não reorganizaram seus calendários, não adotaram nenhum sistema de aulas remotas on-line e a secretária de Educação sequer desenvolveu um plano minimamente eficaz para a prestação do serviço”, afirmou a vereadora.

Em nota, a Prefeitura de Belo Horizonte informou que a Câmara ainda não notificou a secretária do processo administrativo.

Advertisement

Marcela ainda ressalta três pontos de falhas da PBH durante a pandemia: ausência de cronograma de aulas; falta de plano de contingência para orientar as situações em que será necessário regredir e novamente proibir as aulas presenciais e a inexistência de uma estratégia para a continuidade das aulas remotas.

“O prefeito não explicou se ele vai reduzir o distanciamento (entre os alunos) de dois metros para um. O que eu sei da volta às aulas em BH é o mesmo que a população: nada”, disse a vereadora sobre o anúncio de Alexandre Kalil (PSD) sobre dobrar o número de alunos nas aulas presenciais nas escolas públicas.

Advertisement

“O que eu tenho para dizer é que os novos estudos disseram que a escola não é problema. Então, a partir de segunda-feira, vamos publicar o protocolo de reabertura. Nós vamos dobrar o número de alunos”, afirmou o prefeito em entrevista para a TV Globo.