O vereador Fernando Borja (AVANTE), denunciou a compra de máscaras pela Prefeitura de Belo Horizonte. Elas podem ter sido superfaturadas.

No dia 6 de maio, a PBH publicou no Diário Oficial do Município (DOM), o extrato da compra de cerca de 2 milhões de máscaras.

Comprados com dispensa de licitação, os 9 lotes tem uma variação de preço de quase 100%.

Advertisement

Fernando Borja chamou atenção para o fato de que o menor lote foi comprado por R$ 1,99. Foram 100 mil máscaras. O valor total foi de R$ 199.000,00

Já o lote mais caro custou quase o dobro: R$ 3,88. Neste lote foram compradas 630.000 máscaras. O total, R$ 2.444.400,00.

Se tivesse comprado pelo preço do primeiro lote, a PBH teria mais 590 mil máscaras.

Advertisement

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Fernando Borja (@fernandoborjaoficial) em

Advertisement

Fernando Borja denuncia falta de transparência

Em entrevista exclusiva ao Moon BH, o vereador criticou a gestão municipal: “Falta transparência. É uma falta de vergonha. Eles fazem os contratos e quando alguém denuncia cancelam”.

Advertisement

Ele continua: “Isto está acontecendo escondido. Os departamentos estão fechados, estão dificultando a fiscalização. Vamos nos setores e nos dizem que não estão funcionando”.

Impeachment de Alexandre Kalil

A insatisfação de Borja com Kalil não é nova. Há alguns dias ele protocolou um pedido de impedimento do prefeito por crime de responsabilidade e improbidade administrativa.

Advertisement

O vereador afirma que tanto o prefeito quanto seus secretários ignoraram durante quase quatro anos os pedidos de informação enviados pela Câmara:

“Ele [Kalil] está prejudicando o trabalho da casa. Isto é crime. Centenas de projetos foram prejudicados”.

Advertisement