Um artigo de opinião publicado na noite deste sábado, pela Folha de São Paulo, surpreende ao afirmar que o vereador de BH Nikolas Ferreira (PRTB), é gay ou bissexual.

Atualização: neste domingo, Nikolas negou que é gay e a Folha alterou o artigo. Veja aqui.

O texto faz a afirmação ao citar que os dois eleitos com mais votos, Duda Salabert (PDT) e Nikolas fazem parte da comunidade LGBTQIA+.

Advertisement

“Uma narrativa possível para o resultado eleitoral no Legislativo da capital mineira em 2020 é que os dois vereadores mais votados eram LGBTQIA+, mas o que ocorreu no pleito vai além: enquanto Duda Salabert (PDT) concorreu com uma agenda marcada pela valorização da diversidade sexual e de gênero, Nikolas Ferreira (PRTB) foi escolhido em razão de seu alinhamento com o bolsonarismo e de sua defesa de valores conservadores”.

O texto é um artigo de opinião escrito por Lucas Bulgarelli, doutorando em antropologia social na USP e diretor do Instituto Matizes. Portanto, não é uma matéria de jornalistas da publicação. Ele não explica de onde tirou a informação já que Nikolas Ferreira, até o momento, não se assumiu gay publicamente.

No ano passado, inclusive, Nikolas negou no Twitter que estivesse usando aplicativos para achar outros homens para fazer sexo gay:

Advertisement

Advertisement

Até o momento ele também não se manifestou publicamente sobre a citação no artigo. O Moon BH entrou em contato com o vereador, mas ainda não obteve resposta.

Crise com a comunidade LGBTQIA+

Nikolas começou seu mandato causando polêmica ao ser acusado de transfobia por declarar que chamaria Duda Salabert de homem.

Advertisement

Deputado bolsonarista se assumiu gay após ataques

Em 2019, após ser exposto na internet, o deputado estadual Douglas Garcia (PSL), de São Paulo, assumiu que é gay.

Militantes disseram que iriam expor o deputado após ele também fazer ataques transfóbicos afirmando que “tiraria a tapa” ‘homem que se sente mulher e estivesse usando o banheiro feminino’.

Advertisement