A Prefeitura de Belo Horizonte firmou um contrato com a Medicar Emergências Médicas para higienizar 33 ambulâncias em seis pontos distribuídos pela cidade. O valor, de mais de R$ 18 milhões, seria suficiente para comprar outras 100 ambulâncias com UTI.

O contrato está no Diário Oficial do Município e foi assinado no dia 10 de julho, pelo Secretá Municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto.

Estabelece que “fica ampliado e descentralizado o serviço de limpeza e desinfecção dos veículos destinados ao Serviço Móvel de Urgência SAMU/Transporte de Urgência para em função da pandemia do COVID/19;

Advertisement

fica criado 6 (seis) pontos de limpeza e desinfecção em funcionamento 24 (vinte e quatro) horas, 7 (sete) dias da semana incluindo sábado, domingo e feriados;

em cada ponto de limpeza funcionarão 2 (dois) postos de trabalho de 24 (vinte e quatro) horas, 7 (sete) dias da semana incluindo sábado, domingo e feriados”.

O valor é idêntico ao assinado no meio do ano passado, exatos R$18.437.037,28. O primeiro contrato, porém, era mais completo e contemplava toda a operacionalização dos 28 veículos da prefeitura, 1 do Hospital Odilon Behrens e 4 veículos reservas de propriedade da contratada, incluindo motoristas, manutenção preventiva e corretiva, guarda dos veículos e sua limpeza.

Advertisement

Problemas na limpeza dos veículos do Samu

15 dias após a assinatura do segundo contrato, uma reportagem da Rede TV! mostrou o “desespero dos socorristas” com a limpeza dos veículos:

Advertisement

Valor seria suficiente para comprar outras 100 ambulâncias

Em 2018 o então presidente Michel Temer comprou 300 novas ambulâncias do Samu. Informa a Agência Brasil que cada uma delas custou R$ 176 mil.

Contrato do ano passado entre a Medicar e a PBH:

Advertisement

Adição ao contrato neste ano:

Advertisement