A Prefeitura de Belo Horizonte assinou um acordo com a BHTrans, nesta sexta-feira (24), para aumentar as viagens de ônibus na capital. “Não estamos resolvendo o problema (dos ônibus lotados). Estamos amenizando. A cidade está fechada e tem gente passeando na rua. O que é lamentável”, afirmou o prefeito de BH, Alexandre Kalil (PSD), durante a reunião.

A ideia é possibilitar a diminuição de passageiros no transporte público para evitar o aumento da disseminação da COVID-19. No documento, a PBH também se compromete a aumentar as fiscalizações das condições de higiene dos veículos.

Advertisement

O encontro para a assinatura do acordo contou com a presença do presidente da BHTrans, Celio Bouzada, do secretario municipal de Fazenda, João Fleury, do promotor de Justiça de Defesa do Consumidor de Belo Horizonte, Paulo de Tarso Morais Filho, e outros representantes do Ministério Público.

Para a ampliação das viagens, a prefeitura vai repassar R$30 milhões às empresas de ônibus nos próximos 90 dias. Em contrapartida, elas devem oferecer créditos de transporte aos servidores do município.

De acordo com o secretário da fazendo, o aumento do número de viagens deve ser em 15%. Apesar disso, ainda será difícil evitar a superlotação dos veículos.

Advertisement

“Como bem disse o prefeito, é uma questão quase que insolucionável. A gente, infelizmente, não tem o controle dessa situação. O que está sendo feito, aqui, é tomar medidas para amenizar o problema. Mas, enfim, não chegamos ao que todos desejam, que é atender a situação preconizada no decreto municipal. Dificilmente vamos conseguir controlar isso por diversos fatores”, ponderou o promotor de Justiça Paulo de Tarso Morais Filho.