Pode até parecer muito dinheiro pra você, mas R$ 4.500,00, ou quase cinco salários mínimos, foi o valor que pagamos para que o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, se hospedar em um dos hotéis mais caros do Brasil, o Copacabana Palace.

No dia 25 de maio de 2019 o Copacabana emitiu uma nota fiscal contra a Unitour Turismo (empresa contratada pela Prefeitura para marcar as viagens), pela hospedagem de Kalil.

A informação foi divulgada pela revista Istó É, edição local, e mostra que além da hospedagem, Kalil consumiu serviços caros.

Advertisement

No início de 2019, uma fatura de mais de R$ 11 mil registrou gastos em restaurantes caros. Um jantar no restaurante Pergula, deu mais de R$ 1.700,00. Um almoço no Cipriani, de mais de R$ 2.400,00. Só o frigobar do quarto deu incríveis R$ 1.425,00.

A gastança lembra a da ex-presidente Dilma Rousseff, que virou notícia depois de se hospedar em um dos hotéis mais caros de Nova York, com diárias de R$ 11 mil.

Advertisement

Em outra ocasião, em Portugal, pagou mais de R$ 26 mil para ficar em um hotel.

Advertisement