A Prefeitura de Belo Horizonte e a Câmara estão de parabéns. Enquanto muitas gestões estão enfrentando problemas de falta de recursos, na capital mineira tinha dinheiro em caixa parado não sabiam com o quê gastar.

Nesta quinta-feira, 12, chegaram a um acordo para darem às empresas de mobilidade um montante de R$ 237,5 milhões.

O valor corresponde a quase 10% do orçamento previsto pela PBH para gastar com educação em 2022, R$ 2,6 bilhões e quase 5% do que vai gastar com a saúde, R$ 5,2 bilhões.

Advertisement

Como a saúde e educação estão bombando, poderemos subsidiar as empresas de ônibus para que elas voltem a oferecer o serviço no padrão que já ofereciam em 2020.

Elas também se comprometeram a não reajustarem a passagem enquanto estiverem recebendo dinheiro público. Os R$ 0,20 de desconto previstos originalmente, quando o subsídio seria de R$ 150 milhões, não se fala mais nisto. Veja os 17 pontos acordados entre as partes aqui.

Trabalho com tranquilidade. A situação da capital é tão tranquila quando se fala em saúde que a secretária e médica Cláudia Navarro não precisa se dedicar em tempo integral.

Advertisement

“Mesmo estando na Secretaria de Saúde, meu atendimento continua. Pode agendar com tranquilidade, que estarei esperando”, anunciou ela no Instagram. Que bom que cuidar da saúde do povo de BH não vem lhe atrapalhando em seu primeiro emprego.