O novo secretário de Desenvolvimento Econômico de Belo Horizonte, Adriano Faria, questionou a lisura do instituto de pesquisas DataTempo em 2016.

Em um post do Facebook, ele sugeriu que os resultados de uma pesquisa poderiam estar sendo manipulados, uma vez que o dono do instituto, Vittório Medioli, era candidato e pertencia ao mesmo partido de Alexandre Kalil.

Na época Kalil enfrentava João Leite, apoiado por Adriano. “O DataTempo aponta menos de 10 pontos do João Leite no mesmo período que os outros institutos de pesquisa. O dono do data tempo, é candidato a prefeito de BETIM pelo PHS, o mesmo partido do Kalil. Coincidência?”.

Advertisement

No primeiro turno da eleição daquele ano, João Leite recebeu 33,40% dos votos, enquanto Alexandre Kalil teve 26,56%. A diferença foi de 6,84%.

Na pesquisa DataTempo mencionada por Adriano, a diferença era de 4,8%. Com margem de erro de 2,64%, o resultado nas urnas poderia variar entre 2,16% e 7,44%. Portanto o resultado final estava dentro do esperado pela pesquisa (MG-04004/2016).

Advertisement

Kalil venceu a eleição de 2016 no segundo turno. Em 2020, se reelegeu em primeiro turno tendo como vice Fuad Noman, quem nomeou Ariano.

Em outras postagens, o novo secretário criticou o “discurso feminista”, apontou “doutrinação ideológica da esquerda” para beneficiar casais LGBT contra casais ‘héteros’ e defendeu punições aplicadas em 1833. Veja as postagens aqui.

O Moon BH procurou o secretário e a Prefeitura de Belo Horizonte via assessoria de imprensa para comentarem as publicações, mas não obteve resposta. Também procuramos o instituto DataTempo para comentar. Se se manifestarem, atualizaremos esta publicação.

Advertisement