Um agente reformado da Polícia Militar sacou uma arma contra pessoas em uma clínica na região Centro-Sul de Belo Horizonte, nesta segunda-feira (26). Ele teria atacado as vítimas após elas o questionarem sobre não estar usando máscara dentro do estabelecimento, que é em um ambiente fechado. O homem portava uma pistola calibre .380.

As agressões começaram quando uma mulher perguntou ao policial o porquê de não estar utilizando máscara. Vale lembrar que em Belo Horizonte a não utilização da máscara pode acarretar em multa.

As testemunhas afirmaram que o homem reagiu com agressividade, fazendo xingamentos e afirmando que a mulher não tinha “a ver com a vida dele”.

Advertisement

“Começou a xingar ela, mandou tomar ‘naquele lugar’, chamou de p***. Fiquei na porta olhando para ver se ele ia agredir ela fisicamente. Não me importei muito com os xingamentos contra mim, mas fiquei aborrecido com o que ele contra uma mulher”, disse uma das testemunhas.

Nesse momento o homem aumentou as provocações e instigou a testemunha a entrar em confronto físico com ele. “Que caô, pula em mim. Você não é machão?”, afirmou o policial, quando sacou a arma. O rapaz que acompanhou a cena não recuou e o agressor continuou exaltado.

Advertisement

“Disse que ele tem que manter a calma, a ordem e não o contrário. Isso aconteceu. Ele continuou falando, saiu andando e sumiu. Um amigo dele foi lá, pegou o veículo, foi na outra esquina, e foram embora. Ele disse que ia dar um tiro na minha cara, falou isso. Ele se inibiu depois que viu a câmera gravando”, continuou a testemunha.

O policial reformado possui, ao menos, 17 processos cíveis no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), por diversas razões.

Advertisement