O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), afirmou nesta segunda-feira (14) que se o presidente Jair Bolsonaro vier à capital mineira fazer campanha sem máscara, será multado.

“(Ele) Vem cá na nossa cidade sacrificada, com comerciantes sacrificados, donos de bar e restaurantes sacrificados, para disseminar negacionismo numa cidade que se cuidou tanto? Eu acho que se ele fizer isso vai perder muitos votos aqui dentro”, disse Kalil.

“Se ele não vier aqui é um grande favor que ele está prestando ao povo de BH. O povo vai compreender isso como um ato de gentileza, bondade”, continuou o prefeito.

Advertisement

Durante a entrevista para o portal Uol, Kalil também afirmou que Bolsonaro tem responsabilidade no agravamento da pandemia no Brasil. “Não é só ele responsável, ele liderou. Nós perdemos amigos, parentes, gente muito próxima sabendo que essa vacina ‘tava’ aqui e não deixaram ela chegar”, disse.

Sobre uma possível orientação que está sendo estudada pelo Ministério da Saúde para desobrigar o uso de máscara por vacinados ou pessoas que já contraíram a Covid-19 e se recuperaram, Kalil afirmou que não irá seguir.

Advertisement

“Recebi uma ordem do Supremo Tribunal Federal. Quem cuida da população de Belo Horizonte sou eu. Não entendo o por que disso (parecer), nós ainda não somos os Estados Unidos que vacinam 300 milhões de pessoas. (Bolsonaro) Está vendo o que está acontecendo lá, mas está esquecendo de colocar 300 milhões de vacinas nos braços dos brasileiros. Não vejo qual a vantagem, para que falar disso agora?”, disse o prefeito de BH.

Vereador promete pagar as multas

O vereador Nikolas Ferreira, em post na sua conta do Instagram, prometeu pagar as multas que eventualmente forem aplicadas a Bolsonaro e pediu para o presidente mandar seu PIX para que lhe fizesse a transferências do valores, caso as multas sejam aplicadas.

Advertisement

View this post on Instagram

A post shared by Nikolas Ferreira (@nikolasferreiradm)

Advertisement