O governo de Minas Gerais, liderado pelo Romeu Zema (Novo), deixou de honrar compromisso com instituições financeiras em outubro no valor de R$ 198,8 milhões.

Segundo o levantamento do G1, os empréstimos eram feitos com garantia do Tesouro Nacional. Portanto, a União precisou arcar com o compromisso.

Minas Gerais foi o segundo estado que mais deixou dívidas a pagar, superado apenas pelo Rio de Janeiro, que deu calote de R$ 362,8 milhões.

Advertisement

“Diante da notificação, a União informa o mutuário da dívida para que se manifeste quanto aos atrasos nos pagamentos. Caso haja manifestação negativa em relação ao cumprimento das obrigações, a União paga os valores inadimplidos”, explicou o Tesouro Nacional ao G1.

O procedimento padrão é que a União cobre dos estados e municípios, mas por causa do regime de recuperação fiscal que vários estão incluídos, uma decisão do STF proíbe a cobrança por enquanto.

Advertisement