A Infraero deixa de administrar o terminal e a transferência deve acontecer até o dia 31 de dezembro.

 

A partir de janeiro de 2021, o Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, passará a ser gerenciado pelo governo de Minas Gerais. Nesta quarta-feira (17), deputados federais e senadores mineiros fizeram uma reunião virtual  e o ministro da Infraestrura, Tarcísio Gomes de Freitas, assinou uma portaria que transfere a administração do Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, da Empresa Brasileira de Infraestrutura (Infraero) para o governo de Minas Gerais.

Segundo a pasta federal, o processo deve ocorrer até o dia 31 de dezembro deste ano, de acordo com um convênio entre estado e União, também assinado nesta quarta-feira e o período da outorga será de 35 anos. As equipes técnicas dos governos já estão trabalhando em conjunto para efetivar a mudança.

Advertisement

Romeu Zema (Novo) participou da reunião online, disse que os terminais terão grande movimentação após a pandemia e considera que a medida aumentará a importância do aeroporto belo-horizontino. “Se nós já tínhamos aqui em Minas um aeroporto que estava atendendo razoavelmente bem e havia previsão de que continuasse atendendo por mais cinco anos, talvez agora esse horizonte vai ser por mais 10 ou 15 anos”, e ressaltou que essa troca é uma demanda antiga.“A transferência da gestão do Aeroporto da Pampulha é uma antiga demanda do Governo de Minas Gerais e significa o início do processo de transformação do aeroporto, que possui importância estratégica para o estado”, afirmou.

O aeroporto registrou de janeiro a junho deste ano, R$ 11,1 milhões em receitas operacionais. Para a Infraero, que gerencia o aeroporto, as despesas operacionais ficaram em R$ 25,8 milhões, gerando prejuízo líquido de R$ 15,7 milhões nos seis primeiros meses do ano. O custo médio mensal das despesas operacionais é de R$ 4,3 milhões.

Advertisement