O Governo de Minas está analisando a possibilidade de antecipar o feriado de Corpus Christi (11 de junho) como forma de prevenção do aumento de casos da COVID-19. O feriado seria dois dias depois da última data prevista para o pico da pandemia de coronavírus no estado (09 de junho).

A decisão da mudança da data cabe ao parlamento municipal e pode entrar na pauta de discussão das esferas mineiras do poder.

Advertisement

“Não há, para agora, a perspectiva em relação ao pico estimado, já que é uma estimativa. Mas não fica afastada, dentro das possibilidades legais, a possibilidade de movimentação de um feriado, caso seja de atribuição do governo do estado e de seu parlamento”, afirmou o Secretário Estadual Adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, em entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira (20).

Outra estratégia citada pelo secretário, caso o estado considere necessário, é a implantação de ponto facultativo na véspera de datas comemorativas. Além disso, a movimentação de férias, férias premium e folgas compensatórias de servidores estaduais também estão sendo analisadas. A deliberação cabe ao Poder Executivo.

Aumento do número de casos

O Secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, também participou da coletiva e comentou sobre o número de casos de coronavírus no estado. De acordo com o informe epidemiológico da SES-MG, Minas registrou 309 novos casos da COVID-19 nas últimas 24 horas, sendo o maior índice desde o início da pandemia. O número de óbitos por conta da doença também bateu recorde, totalizando dez em apenas um dia.

Advertisement

Porém, segundo Amaral, o aumento do número de casos se deve ao incremento da testagem. De acordo com o secretário, o governo estadual entregou aos municípios um grande volume de testes rápidos nos últimos 15 dias.

“Esses testes estão começando a entrar em ação. É possível que nós tenhamos um pequeno aumento em relação aos casos confirmados. Mas isso mostra que nós estamos aumentando a nossa testagem” afirmou o secretário.

Advertisement