Rubens Menin, presidente da MRV, principal patrocinadora do Atlético-MG, comentou sobre o pedido do cantor Samuel Rosa de a empresa patrocinar o Cruzeiro. O empresário, no entanto, descartou a possibilidade no momento e explicou porquê.

“Não é que está descartado. A MRV pensa assim: no Rio, patrocinou o Flamengo. Um time no Rio basta. Cada hora um. Não tem necessidade de ter dois patrocínios aqui, uma visibilidade basta. Evidentemente, a gente opta pelo Atlético do que o Cruzeiro, porque a gente é atleticano. Mas com todo respeito”, declarou Menin.

O empresário, entretanto, disse que a rivalidade dos times não iria interferir em um patrocínio. “Temos que respeitar os patrocinadores, todo patrocinador para o esporte é bem-vindo. O esporte precisa de patrocínio para ficar grande. Vamos aplaudir os patrocinadores. O pessoal brinca com o Samuel do Skank. O atleticano compra disco dele. É a mesma coisa que o atleticano deixar de comprar porque ele é cruzeirense. Ou então: “Ô Samuel, você não compra Galo na Veia, e a gente compra o seu disco’. Isso é brincadeira. Mas acho que os patrocinadores do esporte têm que ser aplaudidos”, completou.

Advertisement

O empresário ainda afirmou que o Cruzeiro está fazendo o “dever de casa” para tentar se reestruturar por conta de sua crise financeira.

“Primeiro que o Cruzeiro é rival do Atlético, mas ainda bem que tem o Cruzeiro, porque a rivalidade é boa. Quanto a gente já ganhou com bilheteria? Isso é importante. Essa rivalidade é muito positiva, apesar de ser uma rivalidade. O Cruzeiro, infelizmente, está numa situação difícil, como o Atlético também estava, mas um pouco menos. O Cruzeiro tem que fazer o dever de casa – e acho que está fazendo. Não só o Cruzeiro, mas vários clubes do Brasil, inclusive o Atlético. Quando um faz, obriga o outro a fazer. Os clubes que estão devendo precisam fazer o dever de casa, precisam ajustar”, afirmou Menin.

Advertisement