Um laudo da Polícia Civil confirmou o que os moradores de Belo Horizonte mais temiam: a contaminação na cerveja é real. A informação apareceu nesta quinta, 9.



Leia também: Polícia Civil manda NÃO TOMAR lotes de Belorizontina em BH; veja o que fazer aqui

Uma das marcas mais famosas na cidade, a Belorizontina virou febre na capital mineira, já que vem competindo forte no quesito preço e apresenta alta qualidade.

A contaminação, que começou a ser disseminada pelo whatsapp, virou caso confirmado nesta quinta:



Leia também: Descubra o que é dietilenoglicol, produto que contaminou Belorizontina em BH; veja aqui

Advertisement

“Informo que nas duas amostras de cerveja encaminhadas pela vigilância sanitária do município de Belo Horizonte (cerveja pilsen marca Belorizontina lotes L1 1348 e L2 1348) foi identificada a presença da substância dietilenoglicol em exames preliminares. Ressalto que estas garrafas foram recebidas lacradas e acondicionadas em envelopes de segurança da vigilância sanitária municipal”, diz o laudo da Polícia Civil.

A polícia está na sede da empresa desde esta tarde.




Advertisement

Leia também: Família dos EUA foi envenenada com produto encontrado na Belorizontina em BH; veja aqui

Muitos moradores da capital mineira começaram a se desesperar, já que milhares de garrafas da cerveja foram vendidas desde o fim do ano passado, gerando um alto risco de contaminação.




A Backer prometeu se pronunciar logo após a Polícia Civil realizar sua coletiva de imprensa, marcada para a esta noite.

Nos planos da marca estava o Festival Belorizontina, que aconteceria em Belo Horizonte no próximo dia 2 de fevereiro.







Advertisement