Depois de alguns meses fechados por conta da pandemia do novo coronavírus, os bares da região metropolitana de BH estão voltando a abrir, no entanto, com grande variação nos preços. 

O site de pesquisas de preços Mercado Mineiro realizou um levantamento de preço em 50 bares da capital, entre os dias 20 e 24. As variações de preço podem chegar a quase 250%.

“A variação se dá em virtude da localização dos bares. Os bares na Zona Sul são os mais caros, têm custo maior, como, por exemplo, a questão do aluguel do ponto. Tem muita diferença em virtude disso”, afirma o coordenador do site Mercado Mineiro, Feliciano Abreu. 

Advertisement

A porção de picanha, por exemplo, pode custar de R$ 49,90 até R$ 170,00, uma diferença de 240%. Já a batata frita pode ter uma variação de R$14,90 até R$ 34,90, uma diferença de 134%. A porção de lombo suíno na chapa pode custar de R$ 20 até R$ 69,30, variação de 246%. 

“O consumidor tem que analisar. As porções têm diferença no tamanho. Porções maiores e mais fartas e qualidade da carne podem influenciar. Tem que ponderar”, afirmou o coordenador.

Advertisement

As bebidas também apresentaram grande variação no preço. Um suco de laranja natural de 300ml, por exemplo, pode custar de R$ 4 até R$ 12, variação de 200%. Já o refrigerante em lata, de 310 a 350ml, pode custar de R$ 4 a R$ 7, diferença ed 75%. A caipivodka, pode variar de R$ 10 a R$ 23,80, diferença de 138%.

“As diferenças são em virtude de o consumidor pode pagar. No entanto, mesmo na Zona Sul, o cliente não consegue pagar preços tão altos, principalmente no momento em que estamos vivendo. Bar é muito importante para nós mineiros. Então, tem que colocar tudo na ponta do lápis e os preços estão mais altos em relação ao ano passado”, pondera Feliciano.

Advertisement