O Aeroporto Internacional de Belo Horizonte estima que cerca de 600 mil pessoas devem passar pelo terminal ao longo do mês de julho. O número representa um crescimento de 30% na comparação com junho, o que demostra uma aceleração no ritmo da retomada do setor de aviação. Em relação aos números pré-pandemia, a movimentação deste mês representa 70% do tráfego aéreo registrado em fevereiro de 2020. Ao todo, devem ocorrer cerca de 5 mil voos, alta de 20% na comparação com o mês passado.  

Em junho, o aeroporto chega a um total de 37 destinos atendidos. São eles: Aracaju (SE), Belém (PA), Porto Seguro (BA), Barreiras (BA), Brasília (DF), Cabo Frio (RJ), Cuiabá (MT), Congonhas (SP), Carajás (PA), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Galeão (RJ), Guarulhos (SP), Governador Valadares (MG), Goiânia (GO), Ilhéus (BA), Jericoacoara (CE), João Pessoa (PB), Marabá (PA), Maceió (AL), Montes Claros (MG), Natal (RN), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Santos Dumont (RJ), São Luís (MA), Salvador (BA), Teixeira de Freitas (BA), Uberaba (MG), Uberlândia (MG), Comandatuba (BA), Campinas (SP), Vitória da Conquista (BA), Vitoria (VIX), e os internacionais Lisboa (Portugal) e Panamá. 

“Estamos otimistas com o mercado e a retomada das operações. Para este mês, temos a expectativa de alta no fluxo de pessoas e de operações, sobretudo por conta das férias de julho. Para atender a demanda dos mineiros, teremos o retorno das rotas para Cabo Frio, Florianópolis e João Pessoa e, vale ressaltar, o início das operações da Itapemirim. No Aeroporto Internacional de Belo Horizonte estamos tomando todas as medidas necessárias para combater e prevenir a Covid-19 e os passageiros podem ter a tranquilidade que é seguro circular pelo aerporto e também voar”, avalia Clayton Begido, gestor de Conectividade e Aviação da BH Airport. 

Advertisement

Antes da pandemia, cerca de 30 mil pessoas circulavam diariamente pelo Aeroporto Internacional de Belo Horizonte e em torno de 300 voos eram operados por dia entre pousos e decolagens. Eram oferecidos voos para 45 destinos, sendo cinco internacionais (Orlando, Fort Lauderdale, Buenos Aires, Panamá e Portugal).  

Ações contra a Covid-19  

No Aeroporto Internacional de Belo Horizonte são colocadas em prática todas as orientações das autoridades de saúde e da Agência de Aviação Civil (Anac) para que as pessoas se sintam seguras para circular pelo aeroporto e para voar. Há dispensers de álcool em gel em todo o aeroporto, barreiras de proteção nos locais de atendimento aos usuários e adesivos informativos para piso, assentos, banheiros e elevadores.  

Advertisement

Com apoio do exército, uma equipe foi capacitada para atuar na descontaminação e higienização de áreas de grande circulação. Entre as demais medidas já adotadas para o combate à disseminação da Covid-19, também foi reforçada a limpeza e desinfecção das áreas comuns de todo o aeroporto, especialmente dos banheiros.  

O aeroporto também laçou uma campanha de comunicação no intuito de conscientizar passageiros, visitantes e a comunidade aeroportuária sobre a necessidade de higienização das mãos, de manter o distanciamento, isolamento de assentos, uso de máscara e demais atitudes que podem garantir a saúde e segurança de todos. 

Para quem viaja a Belo Horizonte, em voos internacionais, há obrigatoriedade de realização de teste PCR para Covid-19. O exame precisa ser feito com até 72 horas de antecedência e apresentado durante o embarque no país de origem. Também deve ser apresentada declaração de Saúde do Viajante (DSV) preenchida com a concordância sobre as medidas sanitárias que devem ser cumpridas durante o período que estiver no Brasil. 

Advertisement

Ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em voo internacional, os passageiros terão contato com a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), que identifica se há alguém com algum sintoma de Covid-19 ou precisando de atendimento médico.