O governador de Minas Gerais Romeu Zema começou a decepcionar seus eleitores de Belo Horizonte apenas quatro meses após ser eleito.



Leia também: Dilma choca ao dizer que fará até pacto com o Diabo: essa a nossa solução; veja aqui

Primeiro colocado na capital nas últimas eleições, ele liderou a votação em todas as 18 zonas eleitorais de BH.

Ao todo, ele recebeu 63,3% dos votos válidos da capital.

Só que até o momento ele não vem demonstrando a que veio. Sem uma grande articulação política, não estamos vendo muita coisa andar.





Leia também: Zema ganha aplausos após promover atitude histórica que vai economizar muito dinheiro; veja motivo

Além disso, várias de suas promessas estão ficando pra trás. Salários continuam atrasados e ele acaba de ganhar um apelido: “demagoZema”.

Isso porque após passar a campanha inteira dizendo que acabaria com as farras dos voos de políticos, ele decidiu voltar atrás.

Segundo informou Juliana Cipriani, do Estado de Minas, agora o governador acha “imprescindível o uso das aeronaves”.



Leia também: Você não vai acreditar em quanto dinheiro público a Dilma gastou em 2018, mesmo sem ser presidente; veja o valor aqui

Neste domingo, por exemplo, seu vice, Paulo Brant foi buscado em um SPA de luxo que desfrutava com a mulher por um helicóptero do Governo. Quando governador, Pimentel  usou um helicóptero para buscar o filho em Escarpas do Lago.

Em campanha, Zema havia prometido: “Nunca mais Minas vai ser o estado que vai ficar levando governador e seus familiares para compromissos particulares”.

Vale lembrar que recentemente o governador se viu em meio a uma polêmica: teve cidadania e passaporte falsos cancelados pelo governo italiano (veja aqui). Segundo Zema ele foi vítima de um golpe, mas que tem descendência estrangeira e, portanto, direito.