Se tem um tema que sempre levantou a curiosidade do público que acompanha o Moon BH é o mundo das garotas e garotos de programa. Já contamos, por exemplo, a história de uma belo-horizontina que trabalha fazendo programas em Londres (leia aqui) e a de um empresário de BH que escolheu as garotas como um estilo de vida (veja aqui).




Desta vez, conseguimos que uma dessas garotas de programa BH abrissem o jogo sobre seus limites. Com 19 anos completados, Laura aceitou que mostrássemos seu rosto e também que citássemos seu nome.

Ela contou que hoje atende em um site de garotas de programa BH por ser um ambiente controlado e mais seguro.

Tudo nessa vida é conversado e limites existem:

“Eu gosto muito dos homens, e adoro saber que eles ficam excitados comigo e que eu sou capaz de proporcionar prazer a eles. Sinto como se isso fosse um tipo de super poder!

 

Eu sinto muito prazer em namorar, passar o tempo juntos e explorar algumas partes do corpo que eles nem imaginavam que são tão gostosas quando se usa o toque do jeito certo.

Eu posso fazer um homem se sentir incrível que ele não vai conseguir me esquecer por semanas, ou meses. Mas pra fazer isso, eu preciso de alguma ajuda.

Preciso me sentir confortável, e é muito importante que eles me respeitem. Respeitem os meus limites, meus desejos e as minhas instruções.




Antes de me contratar eles precisam saber o básico sobre mim, precisa ler o meu perfil no site, saber o que eu faço e o que não faço, e se eu sou o tipo de mulher que ele está procurando.

Você precisa conversar comigo, principalmente se você quiser realizar alguma fantasia mais incomum, é importante falar comigo antes para saber se eu vou realizar esse desejo com você.

Eu adoro terminar o programa sabendo que realizei uma fantasia especial, que ele ficou satisfeito, ou que eu fui a primeira mulher que fez aquilo com ele.

Mas as vezes aparecem coisas muito estranhas, pedidos tão loucos e sem sentido, que até eu que sou uma garota de programa não consigo achar normal.

Eu não quero te enganar, as meninas que fazem isso não ficam muito tempo nesse ramo de trabalho. Se eu não puder realizar a sua fantasia, ou se eu achar que não vai ser legal pra mim também, eu prefiro não fazer o programa.

No fim das contas, essa é a grande diferença que faz um programa ser inesquecível ou no máximo ser mais ou menos.




O tempo que você passa com uma garota de programa precisa ser agradável, e não vai funcionar se eu também não me sentir bem.

Só porque você vai pagar pela minha companhia, isso não te dá o direito de fazer tudo o que você quiser comigo.

Os homens que só se preocupam com o próprio prazer, ou os que só sentem prazer fazendo a mulher se sentir um lixo (sim, eles existem), podiam se satisfazer com uma boneca inflável. Para homens assim a mulher de verdade não conta, ela não importa, é como se não fosse uma pessoa de verdade.

O fato é que me pagar não te dá o direito de me tratar de um jeito que me faça sentir desconfortável, e nem de fazer qualquer coisa comigo sem o meu consentimento. Isso estraga o programa para nós dois.

Sou uma garota de programa independente, uma empresária

Eu quero fazer o melhor para você, quero que o programa seja muito íntimo e sensual, mas para isso funcionar você precisa ganhar a minha confiança.

Tudo que eu quero é saber que você teve um momento especial comigo, mas isso não depende só de mim, a escolha de passar seu tempo comigo foi sua. Se você me deixar desconfortável ou se tentar ultrapassar os meus limites, eu termino o programa.

De todas as garotas de programa de Belo Horizonte!”