Já imaginou pagar mais de R$ 800 por uma noite de reveillon e ficar sem comer e com racionamento de bebidas? Foi o que aconteceu com a galera com certo poder aquisitivo de BH.



Leia também: Concessão da Globo Minas em BH vence em breve e pode estar ameaçada; veja aqui

Decididos a comparecer no que parecia ser uma das melhores festas de reveillon de Minas Gerais, engenheiros, médicos, publicitários e outros profissionais pagaram até R$ 950 pela noite da virada no MECA Ney Year, que aconteceu no museu Inhotim, em Brumadinho.

Frustração em um evento que prometia oferecer “o melhor da gastronomia mineira”.



Leia também: Mal esfriou o corpo e Rodrigo Faro estria brigando pelo lugar de Gugu na Record; veja o que ele está fazendo

Para quem foi, porém, foi muito do contrário.

Relatos tomaram conta das redes sociais e de jornais como Estado de Minas e Folha de São Paulo.

Resumo: não tinha comida suficiente e a que tinha, segundo quem foi, era ruim. Bebidas, que deveriam seguir liberadas até de manhã, acabaram cerca de 1h.



Leia também: Feriados em BH em 2020: serão até 10 feriadões prolongados; veja datas aqui

Pelo visto não foi uma boa ideia sair de Belo Horizonte para aproveitar a virada nesta edição do MECA, heim?!

Veja os relatos no Estado de Minas aqui, ou na Folha de São Paulo, clicando aqui.