Não pense que estou falando sobre política, porque apesar dos pesares, até tenho certa simpatia pelo Kalil, mas uma recente declaração do prefeito é absurda demais. Então estou falando sobre Belo Horizonte.



Leia também: Juíza de Minas debocha de cliente que comprou picanha falsa e processou mercado; veja o que ela escreveu

É que na noite desta quarta-feira Alexandre Kalil decidiu fazer sua primeira visita a Praça da Liberdade desde que ela foi reaberta à população.

Até aí, nada de grande importância. O problema é que horas antes da visita, uma mulher que trabalha nas redondezas foi assaltada lá, por volta do meio-dia.

Os jornalistas presentes queriam saber, então, se o prefeito não considerava isso um problema de insegurança no local.




Leia também: Fátima Bernardes descobre escândalo grave na Globo após seu salário vazar; veja a polêmica e o valor do salário aqui

A resposta foi debochada: “Foi um problema gravíssimo esse assalto. Estamos até pensando em fechar a praça por causa disso”.

Então não é grave assaltos ocorrerem ao meio-dia num dos principais cartões postais da cidade, em frente ao que voltará a ser a sede do Governo do estado? Mas espera aí, parece que Kalil sabe qual é o problema:

“O problema do país é o desemprego. O próximo presidente precisa acabar com o desemprego, pois, só assim, vamos diminuir a insegurança”.



Leia também: Walter White da UFMG: polícia de BH prende aluno de química com 400 mil; veja aqui

Dizer isso no dia em que um catador de material reciclado vai humildemente a um restaurante de luxo de BH querendo pagar pela refeição com o dinheiro honesto que batalhou pra ganhar é meio absurdo. (veja aqui)

É como se ele dissesse: ‘as pessoas não estão roubando porque querem, é culpa do desemprego’. Desculpe se não consigo concordar.

Eu só acho que é uma pessoa roubar comida porque está com fome e não tem emprego é até ‘ok’. Roubar celular no Centro da cidade parece mais com safadeza e desonestidade, mesmo.



Leia também: Comércio de armas airsoft explode no Centro de BH e preocupa; veja detalhes; veja aqui

Prova disso é que o comércio de celulares roubados segue livre ali na região da rodoviária né? Mas lembre-se destas palavras do Kalil quando você tiver seu próximo celular levado:

“Temos que dar apoio à população desempregada, porque essas pessoas são capazes de fazer coisa que até Deus duvida, por conta do desemprego”.

É tudo por conta do desemprego. Coitados!

*Este é um artigo de opinião. Os pensamentos expressos aqui podem não representar, objetivamente, os do site.