Talvez seja por pura coincidência, mas após a eleição do candidato Bolsonaro à presidência da República, o interesse em armas parece ter aumentado.




E é uma das leis do mercado: se a demanda por alguma coisa aumenta, sua oferta também segue a tendência.

É exatamente o que tem acontecido no centrão de Belo Horizonte, onde armas airsoft (as que usam pressão do ar) e as de mola, estão sendo super anunciadas.

Em vários pontos, rapazes seguram cartazes enquanto gritam anunciando os produtos, que em forma de pistolas, são quase idênticos às armas reais.






Apesar de curioso e até um pouco estranho para os mais desavisados, a prática não é crime. Isto porque uma portaria editada em 2017 finalmente definiu como a venda deve acontecer.

A partir da data em que foi publicada, estabeleceu-se que as armas de pressão (ar ou mola) com calibre inferior a 6 milímetros estão liberadas.

Para comprar, basta apresentar documentos que assegurem idade a partir de 18 anos. É de responsabilidade do vendedor guardar o registro da venda e garantir que quem compra é maior de idade.




Vale lembrar que o transporte de armas de pressão só pode acontecer com o registro de compra e ela não pode estar à mostra.

Pessoalmente, mantenho a opinião de que a venda indiscriminada e tão anunciada de armas de pressão pode representar um risco já que coloca centenas de “réplicas” nas ruas sem muita dificuldade. O que você acha?

Caso queira entender as regras sobre armas de pressão, você pode ler a portaria emitida pelo Ministério da Defesa, clicando aqui (em pdf.).